ALAORPOETA

ALAORPOETA

08 setembro 2013

EFEMERÓPTEROS













                                    divagando
                  numa brecha de vida
               a partida nas duas pontas
                    uma carne de luz
                   uma boca estranha
      não tinha estado nem pai nem mãe
                        não era dona
            ou filha do dono do mundo
                procurava a si mesma
albergada por estrelas que sussurravam
            - o seu tempo me apaga

Alaor Tristante Júnior

Ilustração: imagem da internet

Um comentário:

  1. Divagar numa mecha de vida, dá nisso.
    O que era essa pobre alma?
    Qual o seu destino?
    ...nem as estrelas falam direito com ela.
    Aida bem que entendeu como estava o seu tempo.
    Belo texto.

    ResponderExcluir