ALAORPOETA

ALAORPOETA

29 agosto 2012

RECONSTRUÇÃO





















infância:
o sorvete na praça
o futebol das tardes
o azul da pipa:

eu é que não tenho mais vontade...

namoro:
o primeiro beijo
o segundo beijo
infinitos beijos:

anticorpos nascem na boca...

casamento:
o instinto amor
a beleza dos frutos
construção de um lar:

operários da Natureza...

sociedade:
o progresso
a casa o carro
as aparências:

o sucesso mora no espelho...

passatempo:
passa o tempo
renasce sempre
a infância namoro casamento sociedade:

nós é que nos tornamos ausentes...

a fuga do tempo
apaga o desejo
por fim até o tempo
na fuga se acaba.

Alaor Tristante Júnior

Ilustração: pintura de Katelyn Alain

24 agosto 2012

IDOLATRIA



















Enquanto o anjo mal fez dois anos de idade
tem o crânio esmagado por um caminhão;
- Pobre criança! teria tanta maldade?
tantos crimes a lhe sangrar o coração? - 

enquanto lágrimas impagáveis de mãe
misturam-se no asfalto ao sangue inocente;
um pai, o da terra, recebe o me acompanhe
para escolher o caixão da filha ainda quente,

- Persiste um Deus, indolente, que nada faz
nada sabe nada vê e pede como louco
o culto dos insultos em troca de um soco

na boca do estômago. - Oh! mente voraz
mente por trás de falsos altares de ouro
à custa imbecil de quem paga o desaforo.

Alaor Tristante Júnior

Ilustração: imagem do Google

21 agosto 2012

O DITADOR


























Sempre pensei
que não existisse
não passasse de invenção
até que um dia
bateu à minha porta
sentou no meu sofá
bebeu da minha água
apresentou-me seus projetos
passado presente futuro.

Tudo ia bem
até nossos olhos se encontrarem
quando me lembrei de Capitu
que tinha olhos
oblíquos e dissimulados.

- Sim, você existe
mas sou oposição
não concordo 
com seu governo.

Contrariado
partiu calado
fez tudo virar sonho
preferiu não existir.

Alaor Tristante Júnior


Ilustração: pintura de Willian Blake

18 agosto 2012

CORAÇÃO


























Arranquei-o a gosto; poderia comê-lo
com nojo; mastigá-lo a roubar-lhe segredos;
mesclar-me ao sangue fatal do pesadelo;
daria o perdão se me livrassem os medos.

Mas segue o seu caminho; dê-me as costas
resoluto como se ainda estivesse vivo
embora meu ódio; apesar das respostas
insanas negarem não passa de arquivo

morto; como poderia custar vantagem
esse buraco no peito? doida viagem
de noites geladas comendo a solidão?

Curve-se, não olhe para trás, marche sempre;
se o sigo de perto e o afago entredentes
não se engane levo uma faca nas mãos.

Alaor Tristante Júnior


Ilustração: pintura de Frida Khalo

11 agosto 2012

CORPOS EM MOVIMENTO


























Oh! vida de ilusões atadas
teu cardápio não me diz nada.

Esta fome que me mantém
nas figuras que te convêm.

Quando criança quis o doce
foi o palhaço quem me trouxe.

Depois dia após dia décadas
vivi para copular réplicas.

Enquanto falavam de amor
fui um poeta traidor.

Ninguém enxerga nas rotinas
o que está por trás das cortinas.

Corre no circo o passatempo
quem sentirá o próprio tempo?

Oh! vida de ilusões atadas
teu cardápio não me diz nada.

Se permaneço à tua mesa
dá-me ao menos a gentileza.

Alaor Tristante Júnior


Ilustração: tela do pintor português José Fonseca

09 agosto 2012

GERAÇÃO 69





















A pena de morte é abolida na Inglaterra. No Brasil 
o último executado foi o escravo Francisco, em 1876.
Um jovem americano, em Chicago, queima em público 
sua convocação para a Guerra do Vietnã.
Neil Armstrong pisa a lua e diz "este é um pequeno passo para um homem, mas um grande salto para a humanidade."
A banda Led Zeppelin lança o primeiro álbum 
considerado de heavy metal.
Em agosto, três dias de sexo, drogas e música 
no Festival de Woodstock.
Primeiro implante de um coração artificial em ser humano, em Houston. O paciente morre algum tempo depois.
No Brasil, a esquerda sequestra o embaixador americano Charles Burke Elbrick.
Cid Moreira fala pela primeira vez no seu Jornal Nacional.
Em novembro, Pelé faz seu milésimo gol.

Que ano! Besta!

Foi quando em Araçatuba
gerada nas coxas
- filha de uma negra
                            semialforriada
e de um pai desconhecido
                            branco - 
nasceu meu amor.

Perto dali em Birigui
após um 69 mal dado
- filho de um operário
de curso primário
                           incompleto
e de uma louca varrida
resgatada das ruas - 
nasci eu.
- deu no que deu.

Alaor Tristante Júnior

Ilustração: tela do pintor bielo russo Genrikh Brzhovski

07 agosto 2012

INTOLERÂNCIA



















Mala fala? Fala!
Malafala. Má. Lá. Fá. Lá
do púlpito a milhões
de séquitos turistas
passageiros dos céus.
Mala fala? Fala
ordena moraliza
postes de mãos levantadas
perdoa condena.
Mala fala? Fala!
Dentro vai um cofre.
Se lá malafala fala
é lei.

Alaor Tristante Júnior

01 agosto 2012

A PASSAGEM...





















De repente (não para todos)
assaz em câmera lenta
você ilumina o mundo
como quem se despede
como quem aguarda
                                o trem
que já aponta na esquina.

Viagem desde sempre
                                 esperada
                                 sem malas
com a roupa do corpo
parentes amigos cachorros
todos (nem todos)
alguns já terão partido
outros estarão ocupados
darão o último adeus.

Mas lá do seu assento
de comprido deitado
receberão o silêncio
de quem vai contrariado.

Alaor Tristante Júnior

Ilustração: tela de  Hieronymus Bosch