ALAORPOETA

ALAORPOETA

28 julho 2012

O OUTRO LADO























Lá estava o invisível
às portas guardadas
               chifres de touro blefavam
               omoplatas primatas cuspiam
               orelhas gigantes rezavam
               enquanto garras venéreas
               prendiam o passado.

Eu vi o invisível
não o inventei
               parecia triste
porque tudo explicava.

Nele o homem
tornara-se lenda
histórias contadas
em curtos-circuitos
cópulas de pedras
e fios de cobre.

Lá estava o invisível
às portas guardadas
               silêncio de ouro
               profano dos tolos
               janelas do adeus
nem precisava das sentinelas.


Alaor Tristante Júnior

Ilustração: pintura de Salvador Dali

24 julho 2012

O PERNILONGO





















Como poderia matar
                     um ser que voa
quando tenho os pés
                     fétidos
presos ao chão
                     humano

ainda que o céu
seja a laje branca
                     insípida
do quarto iluminado
pelo sol da philips

interrompo a leitura
e deixo-o à vontade
nutrir-se do sangue
                    anêmico
de vasos abandonados.

Algum tempo depois
                   sem limites
                   obeso
suas asas levam-no
                   ao rés do chão
do prazer exacerbado.

Apático ecoa o horizonte
em busca de seu oráculo
                   outro pernilongo
mas como poderia matar
                   um ser que voa.

Alaor Tristante Júnior

Ilustração: pintura do artista polonês Bezt

23 julho 2012

ENCLAUSURADOS



















Se tudo estivesse ali por um triz
nossos corpos suspensos entre linhas
quem sabe haveria algum sentido
para aceitar as imagens dos olhos.

Se não fossem as distorções das águas
passadas sobre cérebros de fatos
o amor seria mais do que o instinto
beijando a lona social dos pactos.

Mas o tempo sem risco dos momentos
fez da estrada segura o destino
das emoções mofadas que respiro.

Se a felicidade fosse a vitória
por que não deixo de ser o que sou
para ser o que nunca saberei o que fui...

Alaor Tristante Júnior


Ilustração: Orfeu e Eurídice - pintura de Yarek Godfrey