ALAORPOETA

ALAORPOETA

26 março 2012

ESPAÇAMENTO




















Entre o nada de antes
          e o nada do depois
                a vida floresce
entre dois túneis
                do esquecimento:
- O sonho da morte:


"ciranda cirandinha
vamos todos cirandar
vamos dar a meia volta
volta e meia vamos dar"


           são sensações
como quem pica o fumo
como quem morde a isca
seria uma comichão eterna
           se não fossem espaços
entre dois túneis:


"ai, eu entrei na roda
ai, eu não sei como se dança
ai, eu entrei na rodadança
ai, eu não sei dançar"


sonho curto? - pernilongo
sonho besta? - maçaneta
sonho pesadelo? - dois buracos outrora
residências duns olhos...
somente sonho? - não lembrar nada:


"por isso dona rosa
entre dentro desta roda
diga um verso bem bonito
diga adeus e vá se embora"


          "boi, boi, boi
       boi da cara preta"
      cercado alimentado
            à espreita
enquanto não acorda para o açougue
          rumina pensativo
no princípio da dignidade humana
          dos humanos:
- O sonho da morte são gotas
          de dipirona.


Alaor Tristante Júnior


ilustração: pintura de Hans Thoma (1839-1924)