ALAORPOETA

ALAORPOETA

14 novembro 2012

A REVOLTA DE ATLAS


























A revolta de Atlas
derrubou a ponte
           cervical
entre o corpo e o crânio:
nasceu a alma.

A revolta de Atlas
enxugou as águas
           do Atlântico:
do abismo seco da fome
           a cidade
engoliu o buraco.

A revolta de Atlas
           trouxe os céus
           ao rés do chão:
virou bola nas mãos de Chaplin
e o mundo se fez uma reta.

A revolta de Atlas
            primordial
apagou todos os mapas
            do meu destino:
caminho na ponta do lápis
e o lápis é meu inimigo.

Alaor Tristante Júnior

Ilustração: imagem do Google

4 comentários:

  1. Atlas, na mitologia grega, é um dos deuses titãs, encarnação das forças selvagens e da natureza nascente, das potências do caos e da desordem que, na ânsia de tomarem o poder, atacaram o Olimpo para destronarem Zeus. Perdida a guerra, a cada um dos titãs, Zeus castigou. Para Atlas restou-lhe sustentar nos ombros e para sempre os céus. Neste poema, de forma metafórica, trabalho algumas acepções imaginativas vinculadas à nossa própria existência, aliás, o grande legado dos mitos. Na primeira estrofe, Atlas, nome da primeira vértebra que sustenta nossa cabeça; na segunda estrofe, Atlas, o senhor das águas distantes além do Mediterrâneo: o oceano Atlântico; na terceira estrofe, Atlas desiste de sustentar os céus; e na última estrofe, Atlas, na cartografia, coletivo de mapas, na sua revolta que me atinge apagando o meu destino e deixando-me na ponta do lápis que o desenha novamente a seu gosto... Boa leitura. Um grande abraço de Alaor Tristante Júnior.

    ResponderExcluir
  2. O lápis pode ser o seu inimigo mas o teclado do computador não é.
    O Atlas apagou o mapa do seu destino? Apagou nada. Você é bom ficcionista.

    ResponderExcluir
  3. Gostei da alegoria.
    Mas não é tão trágico assim.
    No universo mágico do poeta,
    todo recomeço vem de um fim.

    Aguardo uma visita aos meus poemas.
    Abraços!

    ResponderExcluir
  4. Querido Alaor, bela apresentação do mitológico Atlas. "Voei" para o homem atual. Cada um sustentando seu pequeno mundo. E... Sem revolta. Sou admiradora dos homens dedicados às suas famílias. Têm todas as facilidades, porém suas ordens são provenientes do próprio coração, que é seu Zeus. Não deixam o mundo cair... Ab Maria Luzia

    ResponderExcluir