ALAORPOETA

ALAORPOETA

21 setembro 2012

VOTOS PARA O ARTISTA MORTO


























passa o artista morto
no bolso lava seu rosto
transfigurado em santinhos
planeja o ninho dos outros

sua arte nem era tão bela
tão forte tão arte capaz
de transformar o mundo
precisou do próprio corpo

ao se extraviar político
desmentiu a poesia
recusou a eternidade
assumiu a superfície

passa o artista morto
alguém lhe pede um poema:
dá um prato de comida
então diz: - Segue o enterro!

Alaor Tristante Júnior

Ilustração: pintura do artista iraniano Iman Maleki

8 comentários:

  1. Assim como um rei morto é um rei posto, um poeta morto, segue-se-lhe os passos.Mas um poeta, qual Fenix, ressurge em suas poesias...assim como você ressurgirá.

    ResponderExcluir
  2. Uma versão (apenas uma versão!): é sabido que alguns artistas resolvem ser políticos, mas para isso, é necessário morrer como artistas, não há outra forma. Deixam a transcendência dos artistas para viverem a mediocridade da sobrevivência do dia a dia: lavam seus rostos,agora transfigurados em santinhos, e ousam, como se fosse legítimo, arquitetar o ninho dos outros. Passam a se preocupar com comida, moradia, segurança, e coisas mais, que até o mais reles dos animais e vegetais também se preocupam. Negam a própria arte, que talvez nem era arte, pois assumem que a arte não seria capaz de transformar o mundo. Passam a se dedicar, como operários, às coisas comuns de simples mortais da natureza e acham que com isso podem mudar para melhor. Desmentem a poesia para se arrastarem na superfície em busca do imediato "feijão". Eis que ao pedido de um poema, agora o ex-artista só pode ofertar um prato de comida, mas o pedinte queria um poema mesmo: - Então, o pedinte diz, segue o enterro! Realmente o artista morreu.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. ALAOR,
      Sua explicação abrilhantou a idéia...(Apenas lendo o poema, não coonsegui ver clara a idéia...)
      A idéia foi luminosa...
      Parabéns...

      Grande abraço

      Flávio Leonetti

      Excluir
  3. Recusa da eternidade, muito bem dito. Um poema que gostei, foi uma delícia de assistir a eventos. Com respeito.

    ResponderExcluir
  4. Sua arte não era, tão bela, tão forte,tão arte...Como um tambor ecoa poderosamente em meu peito. E ... não capaz de transformar o mundo.
    Um poeta que disse: "Olhai os lírios do campo, que não tecem nem fiam, no entanto, nem Salomão com toda sua glória se vestiu como eles"... Arriscando sua vida, usando seu corpo - para ser rasgado~- foi capaz de mudar o mundo!
    Sem armas nem exércitos, com a força da verdade, acordou o ser humano para a dignidade de seu corpo e de sua vida e de sua liberdade! Foi a grande voz que deu respaldo às mulheres, aos direitos da criança e dos desvalidos.
    Um poeta em sendo grande pode mesmo fazer mudanças, pois seus versos serão repetidos e se tornarão verdades ou acordarão verdades...
    Um abraço maria Luzia

    ResponderExcluir
  5. Aplausos, Alaor!

    Belo poema!

    Beijos, poeta!

    Mirze

    ResponderExcluir