ALAORPOETA

ALAORPOETA

09 agosto 2012

GERAÇÃO 69





















A pena de morte é abolida na Inglaterra. No Brasil 
o último executado foi o escravo Francisco, em 1876.
Um jovem americano, em Chicago, queima em público 
sua convocação para a Guerra do Vietnã.
Neil Armstrong pisa a lua e diz "este é um pequeno passo para um homem, mas um grande salto para a humanidade."
A banda Led Zeppelin lança o primeiro álbum 
considerado de heavy metal.
Em agosto, três dias de sexo, drogas e música 
no Festival de Woodstock.
Primeiro implante de um coração artificial em ser humano, em Houston. O paciente morre algum tempo depois.
No Brasil, a esquerda sequestra o embaixador americano Charles Burke Elbrick.
Cid Moreira fala pela primeira vez no seu Jornal Nacional.
Em novembro, Pelé faz seu milésimo gol.

Que ano! Besta!

Foi quando em Araçatuba
gerada nas coxas
- filha de uma negra
                            semialforriada
e de um pai desconhecido
                            branco - 
nasceu meu amor.

Perto dali em Birigui
após um 69 mal dado
- filho de um operário
de curso primário
                           incompleto
e de uma louca varrida
resgatada das ruas - 
nasci eu.
- deu no que deu.

Alaor Tristante Júnior

Ilustração: tela do pintor bielo russo Genrikh Brzhovski

9 comentários:

  1. Poxa, que diabo é isso?
    Ficção?
    Bem, deu num cara talentoso...escuta! vote, nem sei o que dizer.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O Mirto, em 69 você vivia galanteando as vulgívagas do lupanar.

      Excluir
  2. Alaor, pelo menos o ano é bem sugestivo, seus pais não achavam?
    E você, o que acha dos anais daquele ano? Ah, já respondeu! Acabou em poesia!
    Mas valeu também! Se a nota máxima é 10 pra todos os acertos, dar 11 nessa parada dá que diacho, heim Zé Hamilton!?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Querida Rita, se fosse somente pelos anais daquele ano eu não teria nascido. Foi preciso algo mais... outros canais para o entendimento da natureza que não se entristece jamais.

      Excluir
  3. A geração 60. É a ultima pensante no Brasil. gostei imensamente da sua crônica autobiografica. interessantíssima, quase didática. Parabens. Somente para lembrar-te, estou lhe seguindo pelo seu blogue.
    abraços amaranhenssados
    Estou a lhe esperar no meu blogue.
    Felicitações

    ResponderExcluir
  4. Paz e amor, sexo e rock n'roll.

    Um poema com um estilo forte e belo! A cada geração sempre algo de bom acontece. Com o seu nascimento, ganhamos nós, da poesia.

    Beijos, poeta!

    Mirze

    ResponderExcluir
  5. Grandes coisas aconteceram antes e depois.
    Mas a cada um tem seus grandes momentos.
    O mundo para cada um só existe após a percepção dele. O ser dá significação. Logo como todos os seres pensantes és parte de um conjunto que se modifica muito quando um sai, quando um cria, quando um se reinventa...coisa para talentosos. Veja também os trocadilhos da Rita, bastante instigantes ou intrigantes,ou os dois? Ab M. Luzia

    ResponderExcluir
  6. Todo 69 é um bom começo. Requer coragem, transgressão, pecado e violação ao sagrado. OU você escreve a sua história, ou vais ser sempre coadjuvante de um roteiro que lhe impuseram. Por isso, em 69 ter a coragem de fazer um 69 é muita ousadia. Malditos os que fizeram, pois estes herdarão a glória. Não sei qual, mas herdarão. Amém!

    ResponderExcluir
  7. Así es, Alaor, existen años en los que se mezclan desordenadamente hechos que benefician y atacan a la Humanidad.
    La diversidad de noticias que quieren que sepamos, no las que se producen en realidad, son tan variopintas que es imposible poder expresar el cúmulo de contradicciones de esta especie autodenominada humana.
    Un excelente trabajo.

    Un abrazo, amigo Alaor.

    ResponderExcluir