ALAORPOETA

ALAORPOETA

18 agosto 2012

CORAÇÃO


























Arranquei-o a gosto; poderia comê-lo
com nojo; mastigá-lo a roubar-lhe segredos;
mesclar-me ao sangue fatal do pesadelo;
daria o perdão se me livrassem os medos.

Mas segue o seu caminho; dê-me as costas
resoluto como se ainda estivesse vivo
embora meu ódio; apesar das respostas
insanas negarem não passa de arquivo

morto; como poderia custar vantagem
esse buraco no peito? doida viagem
de noites geladas comendo a solidão?

Curve-se, não olhe para trás, marche sempre;
se o sigo de perto e o afago entredentes
não se engane levo uma faca nas mãos.

Alaor Tristante Júnior


Ilustração: pintura de Frida Khalo

10 comentários:

  1. alaor
    o coração é como um copo que nunca fica vazio quando bate, assim é o poeta que nunca se encontra no vácuo quando escreve versos.
    um abraço.

    *voltei às minúsculas.

    ResponderExcluir
  2. leva uma faca nos dentes , um violão nas maos e uma sensibilidade rara para a poesia...me engana que eu gosto, candidato a El matador

    ResponderExcluir
  3. hola Poeta,
    Frida Khalo es una artista muy interesante en todo lo que pinta. El agno pasado se hizo una esposición de ella. Aqui en Berlin existe una peluquería, un restaurant con su nombre. El restaurant no tiene buena fama, parece que tiene sus pequenos defectos de asistencia o servicio al público... No he estado ahi todavía. Solo me han contado.
    En Julio 2010 fui a una exposición sobre sus cuadros. Me gustó mucho.

    Un abrazo^^

    ResponderExcluir
  4. Alaor, belo soneto ,com 12 pés, rimas alternadas, mostra cuidadosa elaboração. Pois obra poética é inspiração e transpiração. Ao ùltimo verso um "que" inicial daria um quê na perfeição. Pode-se ser moderno e clássico...
    Abraços com admiração, Maria Luzia

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Querida Maria Luzia, é uma honra recebê-la no meu blog. Sim. Fazer poesia é garimpar beleza. Garimpar é procurar com empenho. Empenhar-se é se dedicar com afinco, é trabalhar, é se esforçar. Como a busca do ouro, quase sempre é tempo perdido. Como li desesperadamente os grandes poetas, e o maior de todos, Arthur Rimbaud, fico horrorizado com o que leio por aí e chamam de poesia. Não que eu seja ou serei um grande poeta mas garimpo diariamente o impossível. Tenho esperanças! Obrigado também por me lembrar do último verso, pois vindo da senhora, que considero minha professora, pela experiência e pelo carinho que sempre despende a mim, só tenho que agradecer e pedir para que não se acanhe jamais de me ensinar, pois sou seu súdito e sempre serei. No entanto, "data vênia", neste caso específico, foi tudo uma questão de entonação, ritmo e preferência do poeta. Talvez, uma licença poética. Considerei (e não me passou despercebido), mas considerei o "se", pronome reflexivo, tônico, e com uma pequena pausa na leitura. É o que se chama em poesia de hiato ou dialefa: não/se/en/ga/ne/le/vo u/ma/fa/ca/nas/mãos. Pela forma que criei o poema, cadenciado, quase truncado, com vários "enjambement", senti necessidade, na hora de declamar, desse hiato. É uma opção. Como todas as opções na vida, arco com as consequências. Afinal, a vida é inventada. Um grande abraço de seu sempre Alaor Tristante Júnior.

      Excluir
  5. Alaor
    Poeta
    Leva distante a tristeza.
    O que escreve, é beleza
    Sabedoria
    Com Frida Khalo na alegoria.
    Parabéns!
    Sua fã.

    Wanilda Borghi

    ResponderExcluir
  6. Sua sensibilidade para escrever me deixa estasiada!

    Fantástico!
    Meu carinho!
    http://pequenocaminho.blogspot.com

    ResponderExcluir
  7. Tu soneto, Alaor, posee una espléndida sonoridad en original, como debe leerse.
    Aprecio un enfado y una triste furia que son dignas, muy dignas.
    Un excelente trabajo.

    Un abrazo, amigo Alaor.

    ResponderExcluir
  8. Ai, menino, menino! Quão difícil é escrever bem sobre o coração. Pior ainda é escrever sobre coração em soneto.
    Vai ser difícil assim lá na casa da Maria Luzia Villela, sô!A sonetista mais, mais de tudo que eu acho em Araçatuba, não diminuindo, jamais, os seus, que tão belos também são!
    Viu só o que você escreveu? Coração com faca deixa mesmo um buraco no peito, mas não um buraco de faca, um outro que dá função a faca.
    Parabéns!



    ResponderExcluir
  9. Quantas coisas somos obrigados a comer com nojo, por que sabemos que ´faz parte vida. O buraco no peito cicatriza, e cicatriz não dói só deixa lembranças. Quem tem cicatriz no peito é sinal que viveu uma história. Quantos passaram por está vida como gato em telhado de zinco quente. Não importa a quantidade de cicatrizes que existe em nossa alma, e sim as lições que elas nos ensinaram. Amém!

    ResponderExcluir