ALAORPOETA

ALAORPOETA

25 junho 2011

CONCUPISCÊNCIA

























Há um céu retrato de chão
no abismo de nossos desejos
um palpitar sôfrego em vão
e uma língua oculta em beijos.


Orifícios copulam mastros
guerras se entrelaçam em camas
entre castos e mundos vastos
a carne se aviva em chamas.


Pensar que é a vida senão
prazer de cada tentação
enlevos do próprio calvário


concúbitos entre cajados
filas de buracos cavados
o sol germinando do armário.


Alaor Tristante Júnior


Ilustração: "A tentação de Santo Antão" - Hieronymus Bosch

10 comentários:

  1. Excelente, Alaor!

    O sol precisava germinar e perceber seu poema, rico demais em tudo!

    Parabéns, poeta!

    Beijos

    Mirze

    ResponderExcluir
  2. Belo soneto, Alaor.
    E não está no homem o dom de unir céu e terra, fazendo-os análogos nessa comunhão carnal, incessante progresso da vida?
    Parabéns, gostei muito.
    Rita Lavoyer

    ResponderExcluir
  3. Olha passei para lhe indicar um link agregador que achei muito bom.
    Estou falando do www.superlinks.blog.br.
    Você vai poder divulgar suas páginas, pois os critérios deste site são sérios e vale a pena conhecer e suas páginas possuem excelentes postagens.
    Um grande abraços..

    ResponderExcluir
  4. Adorei o seu modo de poetar, parabéns: espeeo que também goste de minhas palavras http://mentedosinvalidos.blogspot.com/2011/09/visao.html

    ResponderExcluir
  5. migo, o que faz um céu na poesia de um ateu?
    Acredito que enquanto o sol germinar no armário, há uma réstia deesperânça e quem tem desejos abissais precisa procurar ajuda psocológica. É um tarado.

    ResponderExcluir
  6. O apetite sensual se aflora, retratando no chão o céu da paixão, fazendo labareda da lingua que mergulha com todo ardor que faz o
    desejo palpitar... seria em vão?
    È, seu soneto é um primor em versos, que faz a sequencia logica da junção carnal, em qualquer época e em qualquer situação.
    Parabéns! é um poema sem dúvida feito por genio.
    Marianice

    ResponderExcluir