ALAORPOETA

ALAORPOETA

22 maio 2011

PASSAGEIROS EM TRÂNSITO















Partíamos a destinos disformes
sombras etéreas de fátuos momentos
olhos ausentes vagando uniformes
o silêncio aflito dos pensamentos.


Peles multicores feitas de roupas
secretas coxas estirpes gravatas
borboletas cobras veladas bocas
e o céu metálico nas mãos fumaça.


Fixávamos suaves miragens
no átimo da infância livres bagagens
o último adeus do sabor das almas


a fila móvel nos pontos amargos
quando corpos doentes dos encargos
acolhem outras formas bem mais calmas.


Alaor Tristante Júnior


Ilustração: "El Camión" (1929) - Frida Kahlo

5 comentários:

  1. Alaor!

    Um poema forte mas muito bem escrito. Qualquer um pode ler e perceber uma viagem como outra qualquer. Eu vi além, mas gostei do seu estilo!

    Parabéns,

    Beijos

    Mirze

    ResponderExcluir
  2. Amigo, há muito venho tentando postar comentário aqui no seu blog e dá tudo errado. Agora troquei o navegador para o google chromme e vamos ver...
    Bem: " Partiremos para destinos disformes" . Gostei muito da poesia. Digo que chegaremos ao nosso destino porque temos a têmpera daqueles nossos ancestrais que abriram , com machado e facão, as estradas que hoje trafegamos ( que deveriam estar melhores ). Obrigado pela visita. Se este comentário seguir, prosearmos mais doravante. Vamos lá.

    ResponderExcluir
  3. "Ói, é o trem, não precisa passagem nem mesmo bagagem no trem
    Quem vai chorar, quem vai sorrir ?
    Quem vai ficar, quem vai partir? ...
    Ói, olhe o céu, já não é o mesmo céu que você conheceu, não é mais...
    (trem das sete)

    Parabéns, muito bom o soneto

    ResponderExcluir