ALAORPOETA

ALAORPOETA

27 outubro 2010

TÍTULOS DE VENTO




















Logo ao florir recebeu o primeiro título:
- O Bebê mais Lindo do Berçário!
Para solenizar uma bela cagada
deu um vômito extraordinário.


Na 4ª série dizem que era Dez.
Na 8ª manipulava Cinco Contra Um.
Aos 18 anos já era um Gênio
e o Papai deu um carro como prêmio.


Formou-se Engenheiro, a sociedade crismou:
-  É um Doutor. Fez Pós-Graduação.
Virou Barão. O mundo como espelho,
de dia lia a Bíblia, à noite Paulo Coelho.


Sumidade, Mestre, Bem-Remunerado,
morava numa mansão quando fez Doutorado.
Na festa de formatura ficou Embriagado,
deu uns tapas na Mulher e beijou o Delegado.


Mas com o Juiz comeu pizza e tomou suco de açaí.
Caso arquivado, virou Conde e Marquês de Caguaí.
Saber Aristotélico, foi dar aulas em Boston,
fez Pós-Doutorado e virou Pastor Evangélico.


Alaor Tristante Júnior

23 outubro 2010

TRIOLÉS DA VOCAÇÃO
























Meu pai, e os prazeres da vida?
- Estuda, disse o pai severo,
não há vitória mais querida.
Meu pai, e os prazeres da vida?
- Somente o estudo traz polida
a joia rara e o amor sincero.
Meu pai, e os prazeres da vida?
- Estuda, disse o pai severo.

Passei quarenta anos pensando...
o que eu vou ser quando crescer?
Entre os prós e considerando
passei quarenta anos pensando...
As opções se multiplicando
mas como é difícil saber
passei quarenta anos pensando...
o que eu vou ser quando crescer?

Na intenção de ser tanto treco
acabei tornando-me eu mesmo!
Da cartola arrebatei o eco
na intenção de ser tanto treco
tirei de lá um “vade-mécum”
que superabundante a esmo
na intenção de ser tanto treco
acabei tornando-me eu mesmo!

Alaor Tristante Júnior


Ilustração: pintura de Salvador Dali

22 outubro 2010

MASCARADA















Passa a mulher
toda vestida
cara pintada
de majestade
inalcançável
socialmente
seus olhos me apagam
sou homem invisível
mas quem será
a mulher que passa?


Na noite passada
no tapete verde
ruminando urtigas
estava de quatro
pelada peluda
primata rabuda
pela fresta negra
das partes de baixo
cuspindo tesão
alcancei facinho
o seu coração.


Alaor Tristante Júnior


Ilustração: "Mulher olhando o rio" - Julio Zartos

19 outubro 2010

VIDA BOA

























Vida boa são pingos fugazes
no pestanejar dos meus delírios
no consolo de instintos vorazes
no breve bocejar dos martírios.


Ademais a vida é um engano
desfile sombrio de fantasias
olhos presos no cotidiano
da sobrevivência dos meus dias.


Vida boa são sóis do amanhã
sonhos vindos ao encontro das horas
para morrer frustrados no agora.


São mentiras de glórias no afã
de lograr a nuvem que passou
e ver o sol cegar os meus olhos.


Alaor Tristante Júnior


Ilustração: "O grito" (1893) - Edvard Munch

16 outubro 2010

FAMÍLIA: SOCIEDADE SECRETA


















Que horror!
O vizinho da frente
o vizinho do lado
direito e esquerdo
o vizinho de cima
o vizinho de baixo
no interior das casas
asilo inviolável
batem nas mulheres
maltratam os filhos
chutam os cachorros
drogam-se escondidos
falam palavrões
são homens do mal
mas quando na rua
que beleza!
O vizinho da frente
o vizinho do lado
direito e esquerdo
o vizinho de cima
o vizinho de baixo
na sociedade
espelho fingido
cobrem-se de máscaras
dizem-me bom-dia
abraçam as esposas
afagam os filhos
beijam os cachorros
fazem caridades
são homens de bem
que beleza!
Nada como ar puro!


Alaor Tristante Júnior

13 outubro 2010

UM NÓ NO FUTURO
























Quanto tempo leva para uma puta
escolher qual o seu nome de guerra
é o tempo perfeito de morrer
e renascer no pico do absoluto.


Quanta dor existe na traição
nas formas espúrias da divindade
é a intensidade da humilhação
do poeta encarcerado num corpo.


Diante da morte certa e sagrada
vomitada do ventre de um dragão
nado de borboleta e chego ao inferno.


Quanto tempo leva para saber
que o mundo sempre foi o meu aquário
é o tempo fatal para esquecer.


Alaor Tristante Júnior


Ilustração: "Olhando o Futuro" - Marcos Andruchak

12 outubro 2010

POR TRÁS DA SOCIALITE O JARDINEIRO





















A marca da roupa tem sua cara
feita nuns óculos de mil reais
os cabelos e o cérebro importados
tudo nela vale peso de ouro.

Seus passos fazem curvas de dinheiro
cospe o fluido que se cunha a moeda
no banheiro defeca uns troços verdes
com os quais os ianques fazem dólares.

Mora onde mora somente quem brilha
onde o sol é um singelo detalhe
para aquecer a dor de seus caprichos.

Quando pede nunca pede ela manda
mas no pé de manga a face despida
ao jardineiro mostra suas joias.

Alaor Tristante Júnior


Ilustração: "mulher no lago" - Julio Zartos

11 outubro 2010

AVENTURA EXTRACONJUGAL




















Recebi o seu recado
prendi o tempo
no meu relógio quebrado
da dor fiz segredo
do pensar esquecimento
abri a porta
do imponderável
e fui ao seu encontro.


Encontrei novas paisagens
um cheiro de fruta fortuita
nunca antes lambida
tinha o regalo de Deus
nas flamas do inferno
e por alguns instantes
fui feliz eu não sei
mas na ânsia de encontrar
fui me perdendo de mim
e lembrei o velho amor.


Retornei apressado
a casa estava vazia
dentro dela apenas
meu coração inflado
escorado no portão
postei-me calado
o sentido lá fora
na trágica esperança
de avistar o passado
se dirigindo ao presente
como uma estrela de pernas
no horizonte da rua.


Alaor Tristante Júnior


Ilustração: "Amantes" - Ramón Crespo