ALAORPOETA

ALAORPOETA

12 outubro 2010

POR TRÁS DA SOCIALITE O JARDINEIRO





















A marca da roupa tem sua cara
feita nuns óculos de mil reais
os cabelos e o cérebro importados
tudo nela vale peso de ouro.

Seus passos fazem curvas de dinheiro
cospe o fluido que se cunha a moeda
no banheiro defeca uns troços verdes
com os quais os ianques fazem dólares.

Mora onde mora somente quem brilha
onde o sol é um singelo detalhe
para aquecer a dor de seus caprichos.

Quando pede nunca pede ela manda
mas no pé de manga a face despida
ao jardineiro mostra suas joias.

Alaor Tristante Júnior


Ilustração: "mulher no lago" - Julio Zartos

Um comentário:

  1. É bem por ai. Tirando a casca é que se vê o caroço. Digo, o recheio.

    ResponderExcluir