ALAORPOETA

ALAORPOETA

04 setembro 2010

TRAJETÓRIA...

























Quando criança
era o pai, a mãe,
ficava de castigo
porque era feliz.
Conheceu Deus
nunca mais sorriu...
ficou intrigada.
Quando jovem
eram os hormônios
a opressão do instinto
as incertezas
de um mundo
esquisito.
Perdeu a cabeça
alienada
virou marionete
dos amigos, da internet
e da sociedade.
De repente
faltou-lhe um truque
e estava casada.
Sossegou o facho
mas o príncipe
era um sapo
e lá se foram
todos os sonhos.
Separada
não foi libertada
restaram-lhe os filhos
a via-sacra
advogado-fórum-
oficial de justiça
a luta inglória pela
pensão alimentícia.
Num belo dia
quando acordou
encontrou a velhice
morando no espelho
e com ela vieram
todas as dores.
Foi à igreja
rezou muito
mas descobriu
que o Senhor
desde o início
era surdo
embora seu dono.
Finalmente
verme com verme
a liberdade
de não existir.
Num mesmo instante
morreram todos
ela, Deus e as dores.
Neste ínterim
a sua filha
já estava casada
com um príncipe-sapo.

Alaor Tristante Júnior



Ilustração: "Mulher cão" - Paula Rego

2 comentários:

  1. " [...] encontrou a velhice
    morando no espelho [...]"

    Que linda sua poesia.

    Ciclos.

    Parabéns!

    Abraço.

    Wanilda Borghi.

    ResponderExcluir
  2. Neste círculo da vida,
    espero não ter q/ dar pensão,
    rsrsrs.

    ResponderExcluir