ALAORPOETA

ALAORPOETA

28 novembro 2010

FORA DO TEMPO

























Há tempo perdi a vontade do meu tempo!
Ando à esparavela e pressinto o movimento
do sopro do vento na face o passatempo
capenga de quem abandonou o argumento.


Por que cogitar que sou senhor dos meus versos,
dos meus livros, meus filhos, meu juízo, meus...
incertos abrir e fechar olhos imersos
na alvorada fugaz se escondendo do adeus.


Estou-me nas tintas para ladrar à lua
como o sono de morte do mendigo na rua
pouco me importa estancar ou não a goteira.


Há tempo perdi a vontade do meu tempo!
Quem quiser obrar que vá eu paro e contemplo
na estrada das almas vou ficando poeira.


Alaor Tristante Júnior

26 novembro 2010

A UM EMPRESÁRIO (in memoriam)
















Toda trajetória:
pálpebra caída
no ânus da glória:
auspícia jazida.


Escravo e patrão:
desirmão apreço
mas na extinção
o mesmo endereço.


Lia poucos livros
porque era pavão
refeito carnívoro
passava o facão.


Bofar de opulência
empáfia visão
na beneficência
migalhas de pão.


No império dos homens
nutriu os inermes,
agora, só nome,
alimento dos vermes.


Alaor Tristante Júnior


Ilustração: cena final do filme Teorema (1968) de Pier Paolo Pasolini com o ator Massimo Girotti

15 novembro 2010

PROPAGANDA DO FUTURO



Quem não tem chip
chispa!
Dá meia-lua
não se arrisca
ra-re-ri-ro-rua!


Não deixe seu
cérebro
andar para trás
implante o melhor:
Chip "Maxidécor"
todo soldado 
vira major.


Morte ao chip
1.0, 3.0, 7.0
mulher feia
trisca na ripa
pega faísca
vira odalisca
10.0 "Maxidécor":


Oito idiomas
mapa de Roma
trezentos livros
(Bíblia não inclusa
pois pode danificar
seu chip)
dizáiner moderno
num clic decida
moça, gay ou macho
carnívoro ou
herbívoro
reversão rápida.


Cinco profissões:
- advogado
(vade-mécum
atualizado)
- médico
(últimas pesquisas)
- cozinheiro
(receitas de Ofélia)
- motorista
(especial "X"
naves siderais)
- palhaço
(risos anexos).


Preço módico!
Aos vinte primeiros
que plugarem
levam inteiramente
grátis
fórmula da paixão
seja o campeão!
Vergalho mixo?
Seja Kid-Bengala
20% maior
com chip "Maxidécor"
quem não tem chip
chispa!


Alaor Tristante Júnior


Ilustração: "Pessimismo e Otimismo" (1923) - Giacomo Balla

VERBO FUTURO DO PRETÉRITO



















Vê do banco da praça, ardente humanidade,
mira o vagabundo que desdenha da pressa,
se o tempo escraviza os rostos da cidade,
para alguns passa lento, triste e sem promessa.


Impassível, o olhar tenta achar um sentido
na gravata do homem, na feição sisuda
da mulher que caminha no palco fingido
como quem vai à forca e precisa de ajuda.


Como o instinto canino, o homem também, drástico,
tem o seu lado Deus e o seu lado de Cão,
corre como quem voasse aos confins do máximo,
mas procria, se ilude e morre rente ao chão.


A tez branca Divina há mais de vinte séculos
sob a sombra de Cristo, agoura represália
e mente impunemente abestalhando os séquitos
enquanto o Poder goza no cu da gentalha.


Mas o batalhador moderno é muito mais
do que só esbulhado, arrancam seus miolos,
reduzem-no a idiota, cargueiro do cais
da vida, sisifando infinitos tijolos.


Poetastros, líteros, mais quantificadores
de livros, liras, lírios, bons para as latrinas,
em Academias cotovelando dores,
são burgos cegos aos inversos das cortinas.


O fecho do homem nos chips implantados
no cérebro, capaz de recitar os cantos
irrestritos do mundo nos bilhões de dados,
quando se nascerá sabendo os desencantos.


Homem! O teu progresso das grandes cidades,
tua essência e caprichos de metal serão
a zênite epopeica das futilidades
no gozo final da tua rica extinção.


Busca o sonho maior de esquecer o futuro,
fruto de mágoas, seja na angústia possível
ou na atroz felicidade do brilho escuro,
bebe da porra-louca o antídoto sensível.


Alaor Tristante Júnior


Ilustração: "Apocalipse" (1964) - Guilherme de Faria

27 outubro 2010

TÍTULOS DE VENTO




















Logo ao florir recebeu o primeiro título:
- O Bebê mais Lindo do Berçário!
Para solenizar uma bela cagada
deu um vômito extraordinário.


Na 4ª série dizem que era Dez.
Na 8ª manipulava Cinco Contra Um.
Aos 18 anos já era um Gênio
e o Papai deu um carro como prêmio.


Formou-se Engenheiro, a sociedade crismou:
-  É um Doutor. Fez Pós-Graduação.
Virou Barão. O mundo como espelho,
de dia lia a Bíblia, à noite Paulo Coelho.


Sumidade, Mestre, Bem-Remunerado,
morava numa mansão quando fez Doutorado.
Na festa de formatura ficou Embriagado,
deu uns tapas na Mulher e beijou o Delegado.


Mas com o Juiz comeu pizza e tomou suco de açaí.
Caso arquivado, virou Conde e Marquês de Caguaí.
Saber Aristotélico, foi dar aulas em Boston,
fez Pós-Doutorado e virou Pastor Evangélico.


Alaor Tristante Júnior

23 outubro 2010

TRIOLÉS DA VOCAÇÃO
























Meu pai, e os prazeres da vida?
- Estuda, disse o pai severo,
não há vitória mais querida.
Meu pai, e os prazeres da vida?
- Somente o estudo traz polida
a joia rara e o amor sincero.
Meu pai, e os prazeres da vida?
- Estuda, disse o pai severo.

Passei quarenta anos pensando...
o que eu vou ser quando crescer?
Entre os prós e considerando
passei quarenta anos pensando...
As opções se multiplicando
mas como é difícil saber
passei quarenta anos pensando...
o que eu vou ser quando crescer?

Na intenção de ser tanto treco
acabei tornando-me eu mesmo!
Da cartola arrebatei o eco
na intenção de ser tanto treco
tirei de lá um “vade-mécum”
que superabundante a esmo
na intenção de ser tanto treco
acabei tornando-me eu mesmo!

Alaor Tristante Júnior


Ilustração: pintura de Salvador Dali

22 outubro 2010

MASCARADA















Passa a mulher
toda vestida
cara pintada
de majestade
inalcançável
socialmente
seus olhos me apagam
sou homem invisível
mas quem será
a mulher que passa?


Na noite passada
no tapete verde
ruminando urtigas
estava de quatro
pelada peluda
primata rabuda
pela fresta negra
das partes de baixo
cuspindo tesão
alcancei facinho
o seu coração.


Alaor Tristante Júnior


Ilustração: "Mulher olhando o rio" - Julio Zartos

19 outubro 2010

VIDA BOA

























Vida boa são pingos fugazes
no pestanejar dos meus delírios
no consolo de instintos vorazes
no breve bocejar dos martírios.


Ademais a vida é um engano
desfile sombrio de fantasias
olhos presos no cotidiano
da sobrevivência dos meus dias.


Vida boa são sóis do amanhã
sonhos vindos ao encontro das horas
para morrer frustrados no agora.


São mentiras de glórias no afã
de lograr a nuvem que passou
e ver o sol cegar os meus olhos.


Alaor Tristante Júnior


Ilustração: "O grito" (1893) - Edvard Munch

16 outubro 2010

FAMÍLIA: SOCIEDADE SECRETA


















Que horror!
O vizinho da frente
o vizinho do lado
direito e esquerdo
o vizinho de cima
o vizinho de baixo
no interior das casas
asilo inviolável
batem nas mulheres
maltratam os filhos
chutam os cachorros
drogam-se escondidos
falam palavrões
são homens do mal
mas quando na rua
que beleza!
O vizinho da frente
o vizinho do lado
direito e esquerdo
o vizinho de cima
o vizinho de baixo
na sociedade
espelho fingido
cobrem-se de máscaras
dizem-me bom-dia
abraçam as esposas
afagam os filhos
beijam os cachorros
fazem caridades
são homens de bem
que beleza!
Nada como ar puro!


Alaor Tristante Júnior

13 outubro 2010

UM NÓ NO FUTURO
























Quanto tempo leva para uma puta
escolher qual o seu nome de guerra
é o tempo perfeito de morrer
e renascer no pico do absoluto.


Quanta dor existe na traição
nas formas espúrias da divindade
é a intensidade da humilhação
do poeta encarcerado num corpo.


Diante da morte certa e sagrada
vomitada do ventre de um dragão
nado de borboleta e chego ao inferno.


Quanto tempo leva para saber
que o mundo sempre foi o meu aquário
é o tempo fatal para esquecer.


Alaor Tristante Júnior


Ilustração: "Olhando o Futuro" - Marcos Andruchak

12 outubro 2010

POR TRÁS DA SOCIALITE O JARDINEIRO





















A marca da roupa tem sua cara
feita nuns óculos de mil reais
os cabelos e o cérebro importados
tudo nela vale peso de ouro.

Seus passos fazem curvas de dinheiro
cospe o fluido que se cunha a moeda
no banheiro defeca uns troços verdes
com os quais os ianques fazem dólares.

Mora onde mora somente quem brilha
onde o sol é um singelo detalhe
para aquecer a dor de seus caprichos.

Quando pede nunca pede ela manda
mas no pé de manga a face despida
ao jardineiro mostra suas joias.

Alaor Tristante Júnior


Ilustração: "mulher no lago" - Julio Zartos

11 outubro 2010

AVENTURA EXTRACONJUGAL




















Recebi o seu recado
prendi o tempo
no meu relógio quebrado
da dor fiz segredo
do pensar esquecimento
abri a porta
do imponderável
e fui ao seu encontro.


Encontrei novas paisagens
um cheiro de fruta fortuita
nunca antes lambida
tinha o regalo de Deus
nas flamas do inferno
e por alguns instantes
fui feliz eu não sei
mas na ânsia de encontrar
fui me perdendo de mim
e lembrei o velho amor.


Retornei apressado
a casa estava vazia
dentro dela apenas
meu coração inflado
escorado no portão
postei-me calado
o sentido lá fora
na trágica esperança
de avistar o passado
se dirigindo ao presente
como uma estrela de pernas
no horizonte da rua.


Alaor Tristante Júnior


Ilustração: "Amantes" - Ramón Crespo

16 setembro 2010

DETALHE...

















De repente um corpo
e a noite ficou sem brilho
vaga-lume morto


Alaor Tristante Júnior

11 setembro 2010

ATITUDE

























Ensinaram-me
desde pequeno
que eu era
um trem
sobre trilhos
e que a cada
estação
tinha de pagar
um preço
escovar os dentes
bater continência
estudar... estudar...
depois já grande
fabricar um lar
trabalhar... trabalhar...

Tudo tão certinho
vaguei pelos vagões
passo a passo
cabeça de homem
pouco fui menino
mas a grande
sensação
foi numa tarde
descarrilhei
virei passarinho
voei bem alto
sem destino
descobri
que havia outros
caminhos...

alaorpoeta

PEDINDO APOIO















Mesa tem pé
corpo tem pé
pé de couve
pé de café

pé ante pé
na ponta do pé
quem tem pé
dá no pé

pega no pé
bate o pé
cai de pé

ao pé da letra
a vida dá pé
apesar do chulé.


alaorpoeta

DINHEIRO















Dinheiro vai
dinheiro vem
passa por mim
sorri e se esvai

dinheiro chega
mal chega parte
passa por mim
e faz-me um mártir

dinheiro excita
bem longe saltita
retira-me a calma

dinheiro maldito
engulo e vomito
devora minha alma.

alaorpoeta

10 setembro 2010

SONETO DA CÓPULA, GOZOS E COITOS...



















Há uma fera capciosa em mim
que de quando em quando é amansada
que frequentemente bem mais ousada
retorna desejosa e mais a fim.

Tem gente que a chama sem-vergonhice
minha puta me chama troglodita
mas com a fera não tem pieguice
some num ímpeto e como tal ressuscita.

Seus gestos loucos são sempre incontidos
cega por inteira não dá ouvidos
sobrevém sorrateira e cospe fogo.

Deixando-me abstraído após o logro
feições de bobo e com cara de pau
faz-me crer que sou mesmo um animal.

Alaor Tristante Júnior


09 setembro 2010

VIDA...























Ó vida que passa
que vejo que passa
às vezes tão rápida
às vezes nem passa
tão lenta tão nada
com jeito de inapta
suspiros de amada
por sonho se basta
por vezes tão fraca
não passa perpassa
transpassa sem graça
uma estátua estática
me cospe maltrata
me cala me bate
não sabe descabe
a vida que passa
que nunca me olha
que agora e outrora
minha vida ignora
me larga eu choro
absolvo e devoro
não bebo sem cloro
existo e emboloro
ó vida que passa
que vejo que passa
mas nunca revela
me larga sem vela
lascivo no escuro
sem olhos e mudo
uma vida do mundo
mais uma no mundo
ó vida que quero
e às vezes renego
ó vida que passa
se a amo ou condeno
só ela que tenho.


Alaor Tristante Júnior


Ilustração: "Um par de sapatos" - Vincent Van Gogh