ALAORPOETA

ALAORPOETA

13 dezembro 2009

SONETO DA PALAVRA SEM FLOR















Neste momento de silêncio
já não ouço palavras
só as penso, caladas,
levadas ao vento.

Falaria sem dúvida
tanta coisa escondida
tanta coisa perdida
tanta coisa da vida.

Mas o silêncio da voz
deixa o grito da mente
cada minuto mais só.

E assim se faz pó
a palavra que calo
só penso e não falo.

alaorpoeta

3 comentários:

  1. Benditas são as palavras que se embargam no silêncio!

    Belo, Alaor!

    Beijos

    Mirze

    ResponderExcluir
  2. hola alaorpoeta,
    aqui he llegado y aqui me quedo como seguidora.


    un abrazo^^

    ResponderExcluir