ALAORPOETA

ALAORPOETA

12 setembro 2009

AMOR GOZADO!
























Olha a prostituta
sempre seminua
que se diz matreira
faz ponto na rua
se dá por inteira
a todos que queiram
fungar o seu cheiro
por pouco dinheiro
por muita besteira:
- Posso até gozar!
Enquanto labuta
na beira da cama
no fundo do mato
em banco de carro:
- Posso até sonhar!
Não é muito linda
mas dá boas-vindas
a todos que passam
aos que a entrelaçam
aos que a escorraçam
sobe um triz a saia
mostra sua coxa
convida à gandaia
a cópula ensaia
e numa voz chocha:
- Posso até voar!
Chiclete na boca
camisa na bolsa
se diz muito louca
perversa do mundo
no mundo perdida
mas quando da transa
aí que desanda
se desfaz da franja
rebenta a miçanga
e mostra sua arte
que até já matou
um freguês de enfarte:
- Sou capaz de amar!

Alaor Tristante Júnior



Ilustração: "Prostituta" (1986) - Emmanuel Nery

9 comentários:

  1. Um poema à mulher prostituta! Que também é capaz de amar!
    Acutilante este poema!


    Abraço

    ResponderExcluir
  2. sim senhor estou aqui, mas como ando fora do Brasil vejo depois seu blog, com mais atencao, obrigada CON

    ResponderExcluir
  3. Também chamada de vulgívaga...muitas vezes acabou de perder as tranças; faz nos outros carinhos que não recebe pois os homens só pagam.Pode acontecer de um beijo não ficar na boca, mas enraizar na alma...ai...

    ResponderExcluir
  4. Todos somos capazes de amar... mas tem os que nem sabem dele...

    Um beijo carinhoso.

    ResponderExcluir
  5. ALAOR!

    Mais um ponto ou uma estrela para você. Amo as prostitutas, muitas, talvez a maioria tem como única opção e por breve tempo este trabalho para sustentar filhos e às vezes netos, ou marido!

    Belo poema!

    Beijos

    Mirze

    ResponderExcluir
  6. Estou de acordo com a Mirze. Acaba virando profissão para conseguirem o pão.
    Tá!
    Há outros caminhos, mas este ,para algumas, é mais gostoso, ou mais gozado, sei lá!

    Se levam o ofício a sério, não pode haver gozação. É sério mesmo.

    Se há gozação perde a profissão e passa a ser vida. Ou é sério ou é gozado, se misturar fica sem graça.

    ResponderExcluir
  7. "joga a Pedra na Geni" maldita geni! é Buarque já fez um poema que virou musica, mas a profissão é antiga, e as vezes há mulher que une o util ao agradável, outras só por necessidade e daí? esta profissão é a mais antiga da face da Terra como também o verme, e assim o mundo gira,Mulher ser prostituta não é crime é opção, e cada qual no seu quadrado. gostei muito do seu poema.
    Marianice

    ResponderExcluir
  8. Nossa, assim você me mata...de enfarte!

    ResponderExcluir
  9. As prostitutas fazem parte de nossas histórias... Quem nunca se apaixonou por uma, jamais viveu uma grande história... amém!!!

    ResponderExcluir