ALAORPOETA

ALAORPOETA

26 agosto 2009

O TEMPLO DAS DÍVIDAS


















Por que nasci
pra pagar contas
conferir contas
receber contas
no fim das contas
por que nasci?

Passa meu tempo
passa o dinheiro
um homem fuma
ai quem me dera
se nesta hora
passasse a Luma.

Olho o infinito
cinza das ruas
vejo descalças
em desatino
vítimas nuas
almas que passam.

Corpos surrados
olhos cansados
querem viver
querem morrer
mas só conseguem
sobreviver.

Ai se eu pudesse
parar o tempo
o sobe-e-desce
das minhas horas
a dor de dentro
e a dor de fora.

E vou aos bancos
procuro um santo
e vou aos trancos
às vezes manco
aos quatro cantos
me desencanto.

Alaor Tristante Júnior



Ilustração: "Fugindo da Crítica" (1874) - Pere Borrell del Caso

4 comentários:

  1. ESPETACULAR!

    Parabéns, Alaor! Cada poema seu me surpreende. Muito bom MESMO!

    Beijos, poeta
    Mirze

    ResponderExcluir
  2. pagar contas
    conferir contas
    receber contas
    no fim das contas
    por que nasci?

    Boa pergunta. Boa resposta: pra fazer disso essa bela estrofe.

    W. J. Solha

    ResponderExcluir
  3. Se aos quatro cantos te desencantas, nos mesmos nos encantas!Abraços, Maria Luzia

    ResponderExcluir
  4. Uma preciosidade de poema!

    Sempre atual, o poeta descreve aquilo que em muitos fica na garganta....engasga! Alaor é claro. Insinua poeticamente o [obvio, e surpreende sempre.

    Fantástico.

    Honra-me acompanhálo!

    Parabéns!

    Beijos

    Mirze

    ResponderExcluir