ALAORPOETA

ALAORPOETA

26 agosto 2009

O INVENTOR DE ILUSÕES























Não intento ser sozinho
mas desejo a solidão
se me chamam de ridículo
mais ridículo é meu vizinho
e se detesto ser mudo
deverasmente saúdo
toda densa escuridão
e se falo de minha alma
(aquela mesma de quem
desacredito e blasfemo)
é por um lapso histórico
pura força de expressão
de quem vomita nos dias
e alcança cada vã glória
por mera repetição...
vejo as pessoas nas ruas
e a única aspiração
é se transitassem nuas...
como isso é impossível
a viagem é sofrível
e meu Deus é insensível
então... tenho pena delas...
não das pessoas... das ruas...
das calçadas inventadas
e pisoteadas pelo homem
pelo bicho-homem...
tenho dó de cada roupa
cada luz no alto poste
e o cúmulo do meu dó
é ter pena até de Deus
(só pelo homem não sinto nada
só pelas putas mal amadas
e pelas bichas execradas)
mas são somente ilusões
creio até que as invenções
num estalo de pudor
se cansaram do inventor
o inventor de ilusões!

Alaor Tristante Júnior



Ilustração: "Meditação" - Salvador Dali

2 comentários:

  1. Nossa Alaor, você produz a todo instante?! Parabéns, suas composições são realmente de muita sensibilidade. Parabéns pelo talento.
    Rita Lavoyer

    ResponderExcluir
  2. OLÁ ALAOR. COMOTATU? REALMENTE,COMO DIZ A GRANDE RITa LAVOYER, TENS TALENTO DE SOBRA...PARABÉNS. "SEJE" BENVINDO AO MUNDO DOS BLOGUEIROS

    ResponderExcluir